Sindilojas RioTelefone
   
 
Novidades
Busque no site
 
 
CapaSindilojas RioCentral do AssociadoServiçosConvêniosInformaçõesRevistaImprensaContato
Capa
 
Informações      
Mural
Notícias
Perguntas Frequentes
Downloads
Links Úteis
 
18/01/2019
Alta na intenção de consumo em janeiro é a maior desde 2010
 
Intenção de consumo aumenta 5,1% em janeiro na maior alta mensal da série histórica, iniciada em 2010

A Intenção de Consumo das Famílias (ICF), apurada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), alcançou 95,9 pontos em janeiro de 2019, registrando alta de 5,1% em relação a dezembro. Esta elevação mensal é a maior da série iniciada em janeiro de 2010. Já na comparação anual, o aumento foi de 14,7%. Mesmo apresentando altas, tendência observada desde novembro, o ICF ainda permanece abaixo de 100 pontos desde maio de 2015, limite considerado de insatisfação.

Assim como ocorreu em dezembro, o levantamento mostra que todos os subíndices do ICF variaram positivamente, com destaque para a alta do componente Momento para Duráveis (+11,0%), seguido por Perspectiva de Consumo (+5,8%) e Perspectiva Profissional (+5,0%).

Segundo a Confederação, as condições favoráveis do mercado de trabalho, aliadas à estabilidade inflacionária e ao recebimento do 13º salário, devem ter influenciado positivamente o otimismo das famílias. “Nesse sentido, os subíndices Renda Atual (+3,8%) e Emprego Atual (+3,1%) estabeleceram um cenário favorável para o consumo”, aponta Antonio Everton, economista da CNC.

De acordo com a entidade, a percepção quanto ao Nível de Consumo Atual cresceu 4,4% em relação a dezembro. Na comparação anual, foi a alta mais significativa (+24,6%) dentre os subíndices do ICF. “Diante do cenário em que o crescimento econômico vem sendo gradual, podendo acentuar-se em 2019, a intenção de consumo tenderá a crescer durante o ano, mas dificilmente repetirá a taxa de janeiro”, prevê o economista.

Intenção de consumo nas regiões

Regionalmente, o ICF revelou que as famílias do Centro-Oeste são as únicas satisfeitas nas intenções de compras, alcançando 100,7 pontos, acima da zona de indiferença (100 pontos). Em seguida, aparecem o Sul (99,4 pontos) e o Nordeste (96,1pontos).

De maneira geral, as famílias brasileiras se apresentaram em melhores condições e menos insatisfeitas do que há um ano. Na comparação com 2018, o ICF oscilou +14,7%, graças às variações no Sudeste (+17,8%) e no Nordeste (+16,1%), principalmente.

Perspectivas para 2019

A CNC revisou para 2,6% sua previsão de crescimento da economia em 2019, um pouco acima do mercado. Além disso, a entidade espera aumento 5,5% do volume de vendas do varejo, percentual acima dos 4,8% previstos para 2018. Neste contexto, o ICF poderá oscilar, revelando tendência de crescimento ao longo do ano.

Fonte: CNC
 
 
 
18/01/2019
Setor de serviços está na lanterna da recuperação econômica
 
Divulgada hoje (16/01) pelo IBGE, a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) mostra que em novembro o volume de receitas do setor de serviços se manteve estável na pelo segundo mês consecutivo e segue sem apresentar crescimento anual desde 2014.
Na comparação anual, entre novembro de 2018 e novembro de 2017, o volume de serviços registrou alta pelo quarto mês consecutivo, porém em ritmo ainda lento (+0,9%). A prestação de serviços às famílias foi o destaque positivo do mês ao avançar 3,1% – segunda maior taxa dos últimos 15 meses nesse tipo de comparação. Já a prestação de serviços profissionais administrativos e complementares, atividades mais ligadas à contratação de mão de obra especializada pelas empresas, novamente decepcionou e registrou queda de -1,1%.

Embora o comportamento da inflação de serviços em novembro (+0,41%) – a maior desde julho de 2018 (+0,68%) – não tenha contribuído para estimular a retomada do nível de atividade, a cautela nos investimentos às vésperas da posse do novo governo limitou a capacidade de reativação do nível de atividade do setor.

Segundo Fabio Bentes, chefe da Divisão Econômica da CNC, para que o setor não registre sua quarta queda anual consecutiva, é necessário um crescimento de 1,0% no volume de receitas dos serviços em dezembro de 2018, na comparação com dezembro de 2017 – resultado provável diante das taxas verificadas nesses meses. “No entanto, a recuperação plena do setor segue distante, já que o atual volume de receitas ainda se encontra 11,7% aquém do nível anterior à última recessão”, aponta Bentes.

Com maior crescimento da economia indissociável da reativação dos investimentos, a expectativa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) para 2019 é que os serviços possam registrar seu primeiro avanço anual (+2,0%) desde 2014 (+2,5%).

Fonte: CNC
 
 
 
18/01/2019
Varejo consolida recuperação e tem o melhor novembro em quatro anos
 
Dados divulgados hoje (15) pelo IBGE, na Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), mostram que o volume de vendas dos dez segmentos que integram o comércio varejista no conceito ampliado avançou 1,5% em relação ao mês anterior, já descontados os efeitos sazonais. Esse foi o melhor resultado nesse tipo de comparação desde 2014 quando o indicador mensal avançou no mesmo ritmo (+1,5% em relação a outubro daquele ano).

Já em relação a novembro de 2017, o varejo ampliado registrou crescimento de 5,8%, destacando-se as altas de 16,9% nas vendas de artigos de uso pessoal e doméstico e de 12,8% no comércio automotivo. Juntos, esses dois segmentos, foram responsáveis 83% do aumento das vendas ante novembro de 2017.

Segundo a pesquisa, os destaques de novembro foram os segmentos de artigos de uso pessoal e doméstico (+6,0%) e móveis e eletrodomésticos (+5,0%). “Esses segmentos são tipicamente aqueles mais impactados pelo aumento das vendas decorrentes da Black Friday”, diz o chefe da Divisão Econômica da CNC, Fabio Bentes. “É um evento caracterizado por ações coordenadas de promoções em diversos segmentos do varejo, mas, especialmente, naqueles de linha branca e eletroeletrônicos e que na edição de 2018 proporcionou ao setor um faturamento R$ 3,3 bilhões”, pontua o economista.

Avanço regional

Regionalmente o volume de vendas registrou avanços em 25 das 27 unidades da Federação com destaques para os Estados do Espírito Santo (+14%), Rondônia (+11%) e Santa Catarina (+10,9%). No acumulado do ano de 2018 até novembro, o varejo apresentou alta de 5,4% - maior taxa para este período desde 2012.

Perspectivas 2019

O recuo da taxa de câmbio nas últimas semanas e a percepção de que a economia internacional crescerá menos do que o projetado favorecem a manutenção dos juros básicos no piso histórico, permitindo a reação também do mercado de crédito. Diante desse cenário, a CNC revisou de +5,5% para +5,8% sua expectativa quanto à variação do volume de vendas do varejo ampliado ao final de 2019.

Fonte: CNC
 
 
 
18/01/2019
Senado aprovou projetos para desburocratizar e desonerar a economia
 
Entre os principais textos aprovados pelo Plenário em 2018 está o substitutivo da Câmara ao Projeto de Lei do Senado (PLS) 214/2014, transformado na Lei 13.726, de 2018, que dispensa o reconhecimento de firma e a autenticação de documentos na relação entre o cidadão e o poder público. Em vigor desde novembro, a norma simplifica procedimentos administrativos da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios e institui o Selo de Desburocratização.

A lei acaba com uma série de formalidades consideradas “desnecessárias ou superpostas”. De acordo com o texto, algumas exigências embutiam um “custo econômico ou social” maior do que o “eventual risco de fraude”.

Com o projeto, os órgãos públicos não serão mais obrigados a exigir o reconhecimento de firma e poderão, em alguns casos, aproveitar certidões de um órgão para o outro. O próprio servidor público poderá reconhecer a assinatura e autenticar documentos dentro do processo administrativo. A senadora Simone Tebet também (MDB-MS) destacou que o projeto tem um viés econômico, já que o cidadão não terá que gastar com autenticações e taxas cartoriais.

O texto ainda restringe os casos em que pode ser cobrado o título de eleitor. O documento só precisa ser apresentado para o cidadão votar ou registrar candidatura. A norma também dispensa a obrigatoriedade de firma reconhecida para autorização de viagem de menor, se os pais estiverem presentes no embarque.

A norma institui ainda o Selo de Desburocratização e Simplificação. O objetivo é reconhecer e estimular projetos, programas e práticas que simplifiquem o funcionamento da administração pública e melhorem o atendimento aos usuários. Os órgãos ou entidades que receberem o selo serão inscritos no Cadastro Nacional de Desburocratização. A cada ano, dois órgãos de cada unidade da Federação serão premiados com base nesses critérios.

Autor do PLS 214/2014, que deu origem à Lei 13.726, de 2018, o senador Armando Monteiro (PTB-PE) agradeceu a aprovação do substitutivo da Câmara ao texto de sua autoria, ocorrida em setembro.

— O Brasil precisa simplificar a vida das pessoas — ressaltou.

Fonte: Agencia Senado
 
 
 
17/01/2019
Hoje (17) é o último dia para homologar o termo de adesão do feriado do dia 20
 
 O comércio no Rio poderá abrir no feriado de 20 de janeiro - São Sebastião. Os empresários que quiserem abrir suas lojas neste dia deverão aderir, até hoje, à Convenção Coletiva de Trabalho que permite o trabalho nos Feriados, firmada pelo SindilojasRio e pelo Sindicato dos Comerciários (SECRJ).

É indispensável o Termo devidamente homologado junto ao SindilojasRio e ao SECRJ, que deverá ser emitido em nosso site, na Central do Associado.

Os estabelecimentos associados ao SindilojasRio que fizerem adesão, estando em dia com as mensalidades sociais, que apresentarem comprovantes do pagamento das contribuições Sindical, Confederativa, Assistencial e Negocial de 2018, estarão isentas da taxa devida ao SindilojasRio.

O pagamento referente ao SECRJ deverá ser feito através de depósito bancário diretamente no caixa ou transferências bancárias do CNPJ da empresa constante do Termo de Adesão. Não serão aceitos depósitos efetuados através de envelopes no caixa eletrônico.

DADOS BANCÁRIOS DO SECRJ: CNPJ: 33.644.360 / 0001 – 85 - BANCO DO BRASIL – AGÊNCIA: 1769-8 – C/C: 204.700-4 OU 203.010-1 OU 204.632-6.

Observações:

1. Mesmo as empresas que possuem termo de adesão válido para trabalho aos domingos, precisam aderir à Convenção do feriado do dia 20 de janeiro para funcionar neste dia.

2. Não há expediente no Sindicato dos Comerciários (SECRJ) às sextas-feiras.

3. Plantões disponíveis hoje: Sedes do SindilojasRio e do SECRJ, Delegacias de Serviços de Copacabana e Madureira do SindilojasRio; Delegacias do SECRJ da Barra da Tijuca, Campo Grande e do Norteshopping, West Shopping, Nova América e Shopping Tijuca.
 
 
 
Página: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 »
 
Contribuições
Obrigações do Mês
Associe-se
Convênios
 
Revista
 
 
 
         
 
   
Sindilojas Rio
Telefone

Rua da Quitanda, 3 - 10º, 11º e 12º andares
Centro Rio de Janeiro RJ
CEP 20011-030