Sindilojas RioTelefone
   
 
Novidades
Busque no site
 
 
CapaSindilojas RioCentral do AssociadoServiçosConvêniosInformaçõesRevistaImprensaContato
Capa
 
Informações      
Mural
Notícias
Perguntas Frequentes
Downloads
Links Úteis
 
09/11/2018
Boletos vencidos de todos os tipos poderão ser pagos em qualquer banco
 
A partir do próximo sábado (10), boletos vencidos poderão ser pagos em qualquer banco ou correspondente e não apenas na instituição financeira em que foram emitidos.

Segundo a Febraban, além da praticidade, a implementação da NPC torna o processo de pagamento via boleto mais seguro, sem risco de fraudes.

Outra mudança diz respeito ao comprovante de pagamento, que será mais completo, apresentando todos os detalhes do boleto, (juros, multa, desconto, etc) e as informações do beneficiário e pagador.

Desde 2016 ele vem incorporando na sua base de dados os boletos de pagamentos já dentro das normas exigidas pelo Banco Central, ou seja, com informações do CPF (Cadastro de Pessoa Física) ou CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica) do emissor, data de vencimento e valor, além do nome e número do CPF ou CNPJ do pagador.

A Febraban diz que essas informações são importantes para checar a veracidade dos documentos na hora de se fazer o pagamento.

Caso os dados do boleto a ser pago não coincidam com aqueles registrados na base da Nova Plataforma, ele é recusado, pois o boleto pode ser falso.

Fonte: Valor Economico
 
 
 
 
09/11/2018
Peic mostra recuo da inadimplência em outubro
 
A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), apurada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), mostra que o percentual de famílias com dívidas ou contas em atraso recuou em outubro de 2018, na comparação com o mês anterior, passando de 23,8% para 23,5%. A inadimplência também registrou queda em relação a outubro de 2017, quando chegou a 26% do total.

Quanto ao endividamento, o estudo aponta que a proporção das famílias com dívidas se manteve estável em 60,7% no mês de outubro. Na comparação com o mesmo período de 2017, houve queda de 1,1 ponto percentual.

O percentual de famílias que declararam não ter condições de pagar suas contas ou dívidas em atraso e que, portanto, permaneceriam inadimplentes também ficou estável em 9,9%, em outubro, mas apresentou queda em relação aos 10,1% de outubro de 2017. “A proporção de famílias inadimplentes diminuiu tanto na comparação mensal como na anual, acompanhando um patamar menor de endividamento e redução do comprometimento da renda destinada ao pagamento de dívidas”, diz a economista da CNC Marianne Hanson. Para ela, as taxas de juros em patamares mais baixos também constituem um fator favorável a esse resultado.

Mais uma vez o cartão de crédito é apontado como principal tipo de dívida por 77,4% das famílias entrevistadas. Em seguida, vêm os carnês (14,5%) e, em terceiro lugar, o financiamento de carro (10,1%).

Nível de endividamento

A proporção das famílias que se declararam muito endividadas diminuiu em relação a setembro, passando de 13,3% para 12,9% do total de entrevistadas. Na comparação anual, também houve queda de 1,7 ponto percentual. Comparando outubro de 2017 com outubro de 2018, a parcela que declarou estar mais ou menos endividada passou de 22,7% para 23,5%, e a parcela pouco endividada passou de 24,5% para 24,4% do total de famílias.

Prazo de endividamento

O tempo médio de atraso para o pagamento de dívidas foi de 65,3 dias em outubro de 2018, acima dos 63,8 no mesmo período do ano passado. Em média, o comprometimento com as dívidas foi de sete meses, sendo que 32,1% das famílias possuem dívidas por mais de um ano. Entre aquelas endividadas, 20,1% afirmam ter mais da metade da sua renda mensal comprometida com o pagamento de dívidas.

Desde janeiro de 2010, a Pesquisa Nacional de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic Nacional) é apurada mensalmente pela CNC. Os dados são coletados em todas as capitais dos Estados e no Distrito Federal, com cerca de 18 mil consumidores.

Fonte: CNC
 
 
 
08/11/2018
Homenagem à Aeronáutica
 

O SindilojasRio e o CDLRio promoveram ontem (7) a tradicional homenagem em comemoração ao Dia do Aviador e da Força Aérea Brasileira (alusivo à data de 23 de outubro de 1906, quando o pioneiro inventor Santos Dumont fez o primeiro voo bem-sucedido, a bordo de seu 14-Bis, em Paris).

A homenagem, realizada em conjunto há 48 anos pelas duas entidades, coincidiu com o aniversário de 63 anos de fundação do Clube de Diretores Lojistas do Rio de Janeiro, o primeiro do País, que, hoje, reúne mais de 15 mil empresas lojistas.

Em sua saudação inicial, o presidente do SindilojasRio e do CDLRio, Aldo Gonçalves, destacou a importância da Força Aérea Brasileira na defesa dos mais de 22 milhões de quilômetros quadrados do território brasileiro e, também, para o desenvolvimento do país.

Em seguida, o comandante da Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica, Brigadeiro-do-Ar Flávio Luiz de Oliveira Pinto, fez um breve discurso, correlacionando “a resiliência, a capacidade de se negar ao insucesso, persistindo sempre na luta” como característica comum a comerciantes e militares. Ele também citou momentos e ações importantes da Força Aérea Brasileira, ressaltando seu reconhecimento internacional no tocante à tecnologia aeronáutica.

Encerrando o evento, o diretor de Administração de Pessoal da Aeronáutica, Major-Brigadeiro-do-Ar Mauro Martins Machado, representando o diretor-geral do Departamento de Controle do Espaço Aéreo, Tenente-Brigadeiro-do-Ar Jeferson Domingues de Freitas, agradeceu em nome da Força Aérea e entregou ao presidente Aldo Gonçalves uma placa alusiva à comemoração.

Além de outras autoridades militares, como o diretor de Patrimônio Histórico e Cultural do Exército, General de Divisão Riyuso Ikeda, estiveram presentes à homenagem diretores do Procon-RJ, da Caixa Econômica Federal e da Associação Comercial do Rio de Janeiro, entre outros.
 
 
 
08/11/2018
TST determina aplicação da TR para corrigir dívida trabalhista
 
 

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) decidiu, pela primeira vez, seguir a Reforma Trabalhista e determinar a aplicação da Taxa Referencial (TR) para a correção de valores decorrentes de condenações em processos trabalhistas. A decisão, da 4ª Turma, marca um novo capítulo na discussão sobre o índice adequado para a Justiça do Trabalho: TR ou o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo Especial (IPCA-E/IBGE) - mais vantajoso para os trabalhadores.

A discussão tem impacto direto nas provisões das empresas. A TR é usada, por exemplo, para corrigir os saldos do FGTS. No ano passado, teve variação de 0,60%. O IPCA-E fechou em 2,94%. A diferença entre os índices já foi bem maior, chegando quase nove pontos percentuais em 2015, quando a inflação, medida pelo IPCA-E, chegou a 10,7%. A TR ficou em 1,79%.

Fonte: Valor Econômico
 
 
 
07/11/2018
REVISTAS ÍNTIMAS EM BANCOS E ESTABELECIMENTOS COMERCIAIS ESTÃO PROIBIDAS
 
As pessoas que entrarem em bancos e estabelecimentos comerciais não poderão ser submetidas a revistas íntimas manuais. Esses locais só poderão revistar os clientes por meio de métodos mecânicos, como detectores de metais. É o que determina a Lei 8.152/18, sancionada pelo governador Luiz Fernando Pezão e publicada no Diário Oficial do Poder Executivo na última terça-feira (06/11).

Segundo o texto, a revista deve ser feita com o uso de aparelhos como scanners corporais e detectores de metais, entre outras tecnologias que preservem a integridade física, psicológica e moral do usuário. Em caso de descumprimento da norma, os estabelecimentos podem sofrer penalidades previstas pelo Código de Defesa do Consumidor (CDC). Eles terão o prazo de 180 dias para se adequarem.

(Fonte: Alerj)
 
 
 
Página: « 1 2 3 4 5 6 7 8 9 »
 
Contribuições
Obrigações do Mês
Associe-se
Convênios
 
Revista
 
 
 
         
 
   
Sindilojas Rio
Telefone

Rua da Quitanda, 3 - 10º, 11º e 12º andares
Centro Rio de Janeiro RJ
CEP 20011-030