Sindilojas RioTelefone
   
 
Novidades
Busque no site
 
 
CapaSindilojas RioCentral do AssociadoServiçosConvêniosInformaçõesRevistaImprensaContato
Capa
 
Informações      
Mural
Notícias
Perguntas Frequentes
Downloads
Links Úteis
 
08/05/2018
Notícias do Comércio na rádio Band News FM
 


A Rádio Band News FM está veiculando o boletim Notícias do Comércio desde ontem (7). É o resultado de uma parceria para a produção de 13 boletins de um minuto, que serão veiculados três vezes por semana, na programação matinal da emissora, entre 7h30 e 9 horas, até o dia 4 de junho.

Os boletins tratarão dos temas de interesse da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo - CNC, como as reformas, turismo, saúde e segurança do trabalho, e-social, entre outros. Cada boletim de um minuto tratará de um tema específico. Portanto, serão três assuntos diferentes por semana.

É uma mídia com grande presença e capilaridade pelo Brasil e amplificará a divulgação das informações do comércio de bens, serviços e turismo para os empresários e demais segmentos da sociedade brasileira.

 
 
 
 
08/05/2018
Shoppings devem precisar de 4 anos para ocupar 12 mil lojas que estão vazias
 
A crise deixou marcas profundas no setor de shoppings. Há hoje cerca de 1 milhão de metros quadrados vagos nos 522 shoppings espalhados pelo País. São 12,5 mil lojas desocupadas. Se nenhum novo empreendimento fosse construído ou ampliado, seriam necessários pelo menos quatro anos para que todo o espaço vazio fosse ocupado.

Isso é o que revela um estudo do Ibope Inteligência sobre a vacância do setor. No último ano, houve uma melhora na ocupação, sobretudo nos shoppings consolidados, construídos antes de 2012. Nesse grupo, 8,5% das lojas estavam vagas em 2017. Neste ano, essa marca caiu para 7,9%. Nos shoppings novos, abertos a partir de 2013, a vacância em número de lojas, que atingiu o pico de 46% em 2017, recuou para 41% este ano.

Mas a situação ainda é bem crítica nos shoppings novos, afirma Marcia Sola, diretora executiva de Shopping, Varejo e Mercado Imobiliário do Ibope. "Nos shoppings novos, a torneira está aberta em cima do ralo: entra contrato novo de locação, mas eles perdem varejistas."

Foi exatamente esse movimento que se viu nos últimos três anos no comércio em geral. De 2015 a 2017, entre abertura e encerramento, o saldo de lojas foi negativo em 226 mil, aponta a Confederação Nacional do Comércio (CNC). Para este ano, o economista-chefe da CNC, Fabio Bentes, projeta um saldo positivo de 20,7 mil lojas. Com o ritmo lento de recuperação, ele confirma a projeção do Ibope. "Não será possível repor antes de 2022 todos os pontos de venda fechados por causa da crise."

Além da retração da atividade, a imprudência dos investidores em novos projetos, que superestimaram o mercado, foi outro fator que contribuiu para grande ociosidade nos shoppings hoje, observa Marcia. Nos inaugurados em 2017 e localizados no Sudeste, por exemplo, a situação é mais crítica: quase metade (49%) das lojas está vaga, uma marca muito acima da média nacional (41%).

De fato, houve um boom de shoppings. Entre 2012 a 2016, foram abertos 128 empreendimentos, lembra o presidente da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), Glauco Humai. "Com a crise, ocorreu uma tempestade perfeita que fez com que os shoppings novos tivessem maior dificuldade de amadurecimento. Mas isso não aconteceu com todos."

A Abrasce não monitora a vacância dos shoppings novos separadamente dos consolidados. Nas contas da entidade, a taxa média de vacância do setor como um todo gira em torno de 5,7% em número de lojas. "A taxa tem flutuado mês a mês e é administrável", afirma Humai. Ele diz que não conhece a metodologia e a base de dados dos indicadores apurados pelo Ibope e, por isso, não pode comparar os resultados.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.


 
 
 
08/05/2018
Comércio eletrônico espera crescer 17% no Dia das Mães
 
O comércio eletrônico deve movimentar R$ 2,9 bilhões no Dia das Mães. A data é considerada a segunda mais importante para o varejo. Esta é a previsão da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm). É esperado um crescimento de 17% quando comparado com o ano passado.

Cerca de 8,7 milhões de pedidos sejam realizados entre 23 de abril e 11 de maio. O tíquete médio deve ficar em R$ 332. As principais categorias de produtos a serem buscados na data são moda, cosméticos, eletrodomésticos, flores, casa e decoração.

 
 
 
 
07/05/2018
Comerciários entregam Pauta de Reivindicações da Convenção Coletiva de Trabalho 2018-2019
 

Os presidentes do Sindicato dos Lojistas do Comércio do Rio de Janeiro – SindilojasRio, Aldo Gonçalves, e do Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro – SECRJ, Marcio Ayer (foto), se reuniram na sexta-feira (4), dando início à negociação da Convenção Coletiva de Reajuste Salarial dos Comerciários do Rio relativa ao período 2018-2019. Durante o encontro, na sede do SindilojasRio, o presidente do SECRJ entregou ao empresário Aldo Gonçalves a Pauta de Reivindicações da categoria. Participaram da reunião, também, o secretário-geral do SECRJ, Marcelo Black, o superintendente e o gerente geral do SindilojasRio, Carlos Henrique Martins e José Belém, respectivamente.

Na próxima sexta-feira (11), às 10h30min, será realizada a Assembleia Geral Extraordinária do SindilojasRio para deliberar sobre a proposta de convenções coletivas de trabalho referentes a: Salarial; Banco de Horas; Tempo parcial; Prazo determinado, domingos e feriados; e a Criação de Câmara de Mediação.
 
 
 
04/05/2018
Percentual de famílias endividadas recua em abril
 
A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), apurada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), mostra que o percentual de famílias com dívidas alcançou 60,2% em abril, uma queda em relação aos 61,2% observados em março. Houve redução também em relação a abril de 2017, quando o indicador alcançou 62,1% do total de famílias.

O estudo destaca que a proporção das famílias com dívidas ou contas em atraso diminuiu este mês, atingindo 25% das famílias, ante 25,2% em março. Na comparação com abril de 2017, houve queda de 0,4 ponto percentual.

“A redução do endividamento observada ao longo do primeiro quadrimestre deste ano reflete um ritmo menor de recuperação do consumo das famílias”, afirma Marianne Hanson, economista da CNC.

Já a proporção de famílias que declararam não ter condições de pagar as suas contas ou dívidas em atraso e que, portanto, permaneceriam inadimplentes passou de 10,0% em março para 10,3% em abril de 2018. “A taxa de desemprego ainda bastante alta ajuda a explicar a dificuldade das famílias em pagar suas contas em dia”, complementa a economista.

Mais uma vez, o cartão de crédito aparece como a principal forma de compromisso, apontado por 76,1% das famílias endividadas. Em seguida, vêm os carnês (16,5%) e, em terceiro lugar, o crédito pessoal (10,4%).

Nível de endividamento

A proporção das famílias que se declararam muito endividadas aumentou em relação a março, passando de 14,1% para 14,2% do total de entrevistados. Na comparação anual, houve queda de 0,7 ponto percentual.

Prazo de endividamento

O tempo médio de atraso para o pagamento de dívidas foi de 64,3 dias em abril de 2018, acima dos 63,1 no mesmo período do ano passado. Em média, o comprometimento com as dívidas foi de sete meses, sendo que 32,1% das famílias possuem dívidas por mais de um ano. Entre aquelas endividadas, 19,9% afirmam ter mais da metade da sua renda mensal comprometida com o pagamento de dívidas.

A Pesquisa Nacional de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic Nacional) é apurada mensalmente pela CNC desde janeiro de 2010. Os dados são coletados em todas as capitais dos Estados e no Distrito Federal, com cerca de 18 mil consumidores.
 
 
 
Página: « 2 3 4 5 6 7 8 9 10 »
 
Contribuições
Obrigações do Mês
Associe-se
Convênios
 
Revista
 
 
 
         
 
   
Sindilojas Rio
Telefone

Rua da Quitanda, 3 - 10º, 11º e 12º andares
Centro Rio de Janeiro RJ
CEP 20011-030