Sindilojas RioTelefone
   
 
Novidades
Busque no site
 
 
CapaSindilojas RioCentral do AssociadoServiçosConvêniosInformaçõesRevistaImprensaContato
Capa
 
Informações      
Mural
Notícias
Perguntas Frequentes
Downloads
Links Úteis
 
10/11/2017
Suspensa no país, a emissão da Carteira de Trabalho
 
 
Problema no sistema usado nos postos do Sistema Nacional do Emprego (Sine) está afetando o atendimento aos cidadãos que precisam solicitar a Carteira de Trabalho em todo o país. Com o sistema fora do ar desde o dia 6, as pessoas que têm procurado os postos do Sine, estão sendo informadas sobre a dificuldade e orientadas a telefonarem para o Sine para saber o retorno da emissão da Carteira do Trabalho, antes de retornarem a um dos postos.

Os serviços de liberação do seguro-desemprego e intermediação de mão de obra não foram afetados, estando funcionando normalmente.
 
 
 
10/11/2017
Reforma Trabalhista entra em vigor amanhã
 
 
As novas regras da Reforma Trabalhista entram em vigor, amanhã, sábado 11 sábados (11), mudando direitos e deveres de trabalhadores e empresas privadas (funcionários públicos ficam de fora). Há dúvidas se todas as regras vão se aplicar a quem está já estava trabalhando antes.

Veja algumas mudanças na Reforma Trabalhista:

*Acordo entre empresa e sindicato vale mais que a lei, mas há exceções.
*As férias vão poder ser divididas em até três períodos. 
*Banco de horas poderá ser feito por acordo individual.
*O tempo para almoçar poderá ser reduzido para 30 minutos. *Funcionários poderão ser contratados sem hora fixa e ter salário variável.
*Qualquer trabalhador poderá trabalhar 12 horas seguidas e descansar 36 horas.
*Demissão pode ser por acordo, e o trabalhador ganha menos FGTS.
*Trabalho de casa fica regulamentado e tem de constar do contrato.
*A terceirização já estava valendo desde março, mas a reforma até traz uma proteção ao trabalhador (quem é demitido só pode ser terceirizado para a mesma empresa 18 meses depois).


Fonte: UOL
 
 
 
10/11/2017
Inadimplência no comércio do Rio cresceu 0,4% em outubro
 
Pesquisa do Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC) do Clube de Diretores Lojistas do Rio de Janeiro (CDLRio) divulgada ontem (9) registrou crescimento de 0,4% na inadimplência do comércio lojista da capital fluminense, em outubro passado, em relação a igual mês de 2016. Esse foi o menor índice do ano. Já as dívidas quitadas e as consultas diminuíram 1,4% e 8,4%, respectivamente, também em relação a outubro do ano passado.

No acumulado até outubro, comparativamente ao mesmo período de 2016, a inadimplência aumentou 1,3%, enquanto as dívidas quitadas cresceram 0,1%. Já as consultas ao SCPC caíram 8,3%.

O presidente do SindilojasRio e do CDLRio, Aldo Gonçalves, disse que a situação do Rio de Janeiro é complicada, porque o funcionalismo público não está recebendo em dia os salários. “Vai receber o décimo terceiro salário do ano passado e não sabe quando vai receber o décimo terceiro de 2017. Tem o problema da violência em que, infelizmente, houve aumento, um recrudescimento. Tem o problema da desordem urbana. Mas mesmo assim, a inadimplência caiu”.

Para Aldo Gonçalves, a queda da inadimplência retrata o freio dado pelas pessoas no consumo. Ele aposta, contudo, que deverá ocorrer um movimento de retorno às compras com a proximidade do Natal. “O período do Natal é muito importante para alguns segmentos do comércio, cujas vendas representam 30% do faturamento e até mais”.

A expectativa dos lojistas é de um crescimento modesto das vendas no Natal em torno de 2% em média. “Pode ser um pouco mais, um pouco menos”. O presidente do CDL Rio observou que no Rio, em função da situação de crise do estado, o otimismo do setor é moderado, “diferentemente do resto do Brasil, onde há um otimismo maior”.

Fechamento

A crise financeira do estado do Rio de Janeiro tem provocado o fechamento de muitos estabelecimentos comerciais. Nos seis primeiros meses do ano, 4.154 lojas encerraram atividades na cidade, 76,2% a mais do que em igual período de 2016. Em junho, foram 900 estabelecimentos fechados na capital e 2.061 no estado, um aumento de 149% e de 100%, respectivamente, em comparação ao mesmo mês do ano passado. No semestre janeiro a junho, foram mais de 9.730 lojas fechadas no estado, 55% a mais do que no mesmo período de 2016. “É um número muito grande”, lamentou Gonçalves. “Isso é consequência do momento difícil que nós estamos vivendo”.

Em todo o ano passado, mais de 11.950 empresas fecharam as portas no estado do Rio de Janeiro, sendo 4.700 na capital fluminense, um aumento de 25,2% e 23,1%, respectivamente, em relação a 2015, de acordo com dados de pesquisa do Centro de Estudos do CDL Rio.

Aldo Gonçalves disse que há uma tendência de melhora que pode apontar na direção da reversão desse quadro. Destacou, porém, que o grande fator que afeta o comércio varejista é o desemprego. “Segundo economistas, o desemprego é o último indicador a melhorar. Custa um pouco porque depende de novos investimentos e de confiança na economia”.
 
 
 
08/11/2017
Prepare sua equipe de vendas para este Natal
 
 
 
 
 
08/11/2017
CNC revisa valor de vendas para o Natal
 
 

A CNC - Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) revisou a projeção de vendas calculada para o Natal deste ano, e estima que a data movimentará no país, R$ 34,7 bilhões, o que representa um avanço de +4,8% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Para Fabio Bentes, chefe da Divisão Econômica da CNC, “Além da inflação baixa, a redução na taxa de juros e a contínua melhora do mercado de trabalho contribuíram para a percepção mais positiva quanto às vendas no final do ano. Sendo assim, revisamos de +4,3% para +4,8% a expectativa para o crescimento real das vendas para o Natal de 2017”, aponta.

A melhora na expectativa de vendas deverá ser em mais demanda por trabalhadores temporários. Dessa forma, a CNC também revisou de 73,1 mil para 73,8 mil a previsão de contratação de trabalhadores formais para o próximo Natal. Os destaques na oferta de vagas ficarão a cargo dos segmentos de vestuário e calçados (48,4 mil vagas), seguidos por hiper e supermercados (10,3 mil) e pelas lojas de artigos de uso pessoal e doméstico (8 mil).
 
 
 
Página: « 5 6 7 8 9 10 11 12 13 »
 
Contribuições
Obrigações do Mês
Associe-se
Convênios
 
Revista
 
 
 
         
 
   
Sindilojas Rio
Telefone

Rua da Quitanda, 3 - 10º, 11º e 12º andares
Centro Rio de Janeiro RJ
CEP 20011-030