Sindilojas RioTelefone
   
 
Novidades
Busque no site
 
 
CapaSindilojas RioCentral do AssociadoServiçosConvêniosInformaçõesRevistaImprensaContato
Capa
 
Informações      
Mural
Notícias
Perguntas Frequentes
Downloads
Links Úteis
 
21/03/2019
Fábrica de alimentos é condenada por exigir certidão de antecedentes criminais na admissão
 
  

A Sexta Turma do Tribunal Superior do Trabalho reconheceu o dano moral sofrido por um ajudante de produção que, para ser contratado por uma indústria de alimentos, teve de apresentar certidão de antecedentes criminais e folha criminal. Ao acolher recurso do empregado, a Turma condenou a empresa a pagar indenização de R$5 mil.

Fonte: TST
 
 
 
21/03/2019
Empregado vai receber em dobro porque férias foram divididas em 3 vezes
 
 
O Tribunal Superior do Trabalho (TST) condenou uma empresa varejista do ramo de peças automobilísticas a pagar as férias em dobro para um empregado de Gravataí (RS).

O funcionário teve as férias referentes a 2008 e 2009 divididas em três períodos. Na época, isso era proibido. Hoje, após a reforma trabalhista, é permitido, se houver acordo entre patrão e empregado. A empresa ainda pode recorrer da decisão.

Fonte: Valor Econômico
 
 
 
21/03/2019
Comércio carioca gastou 1,8 bilhão com segurança em 2018
 
 O comércio varejista carioca gastou R$ 1,8 bilhão com segurança em 2018 com a contratação de vigilantes, equipamentos eletrônicos, grades, blindagens de portas e reforço de vitrines. O número é da pesquisa “Gastos com segurança em estabelecimentos comerciais” do Centro de Estudos do Clube de Diretores Lojistas do Rio de Janeiro – CDLRio, que ouviu 750 lojistas, das Zonas Norte, Oeste, Sul e Centro.

A pesquisa mostra também que dos entrevistados 275 já tiveram seus estabelecimentos assaltados, furtados ou roubados, 5,9% mais do que em 2017.

Do total gasto, 64% foram com segurança privada e vigilantes, 30% com equipamentos de vigilância eletrônica e seguros, 6% com gradeamento, blindagens e reforços de portas e de vitrines.

De acordo com Aldo Gonçalves, presidente do SindilojasRio e do CDLRio, é como se fosse mais um tributo pago pelos lojistas, já massacrados pelo peso da burocracia e da alta carga tributária. “A violência urbana na cidade do Rio de Janeiro, ao lado do crescimento desregrado da camelotagem, vem prejudicando bastante o comércio, já afetado pelo quadro econômico do país e, em especial pela crise do Estado do Rio, que tem influido profundamente no comportamento do consumidor, que por um lado fica com medo de sair de casa e por outro reduz seus gastos, entre eles as compras. Não é sem razão que mais de 10.500 estabelecimentos comerciais fecharam suas portas no Município do Rio no ano passado”, diz Aldo.

Ele lembra que esse R$ 1,8 bilhão poderia ter sido investido na ampliação dos negócios, como novas lojas, reformas, treinamento de pessoal, gerando mais emprego e renda. “Por isso o comércio espera que a promessa de campanha do novo governo estadual tenha êxito e seja capaz de trazer a paz ao nosso estado. Com isso os lojistas poderão transformar esse vultuoso gasto, que representa uma considerável parcela do seu faturamento, em investimento na melhoria e no crescimento dos negócios, beneficiando toda a cadeia produtiva do comércio”, conclui Aldo Gonçalves.
 
 
 
18/03/2019
Mutirão do Dia do Consumidor realiza 1.248 atendimentos
 
 

Marcando o Dia Mundial do Consumidor, o Procon Estadual, em parceria com o Clube de Diretores Lojistas do Rio de Janeiro - CDLRio e apoio do Sindicato dos Lojistas do Comércio do Município do Rio de Janero – SindilojasRio, realizou um mutirão de atendimento de reclamações e negociação de dívidas na última sexta- feira (15/03), no Largo da Carioca. Foram realizados 1.248 atendimentos. Com 17 empresas representadas no mutirão, foram firmados 255 acordos e 112 atendimentos foram referentes a orientações aos consumidores. Houve 179 atendimentos encerrados sem solução, que receberam prazo para retornarem ao Procon Estadual. O Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC), também foi muito procurado pelos consumidores, interessados em consultar a situação do seu CPF. O serviço, oferecido gratuitamente pelo CDLRio, atendeu 702 pessoas.

Entre as empresas presentes no mutirão, estavam operadoras de telefonia (Claro, Oi, Vivo, Tim e Nextel); bancos (Itaú, Bradesco, Santander e Caixa Econômica Federal); a loja de Departamentos Leader; concessionárias de serviços públicos (Light, Enel, Cedae e Naturgy – ex-CEG), e operadoras de TV por assinatura (Net e Sky). A presença dos representantes das empresas no mutirão possibilitou que, na maioria dos casos, o consumidor saísse do local com uma solução para seu problema. As reclamações referentes a empresas que não estavam no mutirão foram atendidas pelos funcionários do Procon Estadual e encaminhados para resolução posterior na sede da autarquia.

A empresa mais procurada foi a Light, realizando 77 atendimentos. Ela também foi a que teve o maior índice de acordos do mutirão. As outras empresas mais procuradas foram do setor bancário: Bradesco, com 76 atendimentos, Caixa com 62, e Itaú com 43.

Desde 2014, o CDLRio e o SindilojasRio promovem mutirões de atendimento ao consumidor, em parceria com o Procon-RJ, visando a aproximar empresas e clientes e a facilitar a solução de reclamações e a renegociação de dívidas.
 
 
 
15/03/2019
Inadimplência no comércio carioca cresceu 0,8% em fevereiro
 
 
A inadimplência no comércio lojista do Rio aumentou 0,8% em fevereiro em relação ao mesmo mês de 2018, de acordo com os registros do Serviço Central de Proteção ao Crédito do CDLRio.

As dívidas quitadas, que mostra o número de consumidores que colocaram suas dívidas em dia, aumentaram 1,5% e as consultas, item que indica o movimento do comércio, diminuíram 3,2%, também em relação ao mesmo mês de 2018.

Em relação ao mês anterior a inadimplência e as dívidas quitadas aumentaram, respectivamente, 0,9% e 0,5%, e as consultas diminuíram 0,7%.

Fonte: DCI
 
 
 
Página: « 5 6 7 8 9 10 11 12 13 »
 
Contribuições
Obrigações do Mês
Associe-se
Convênios
 
Revista
 
 
 
         
 
   
Sindilojas Rio
Telefone

Rua da Quitanda, 3 - 10º, 11º e 12º andares
Centro Rio de Janeiro RJ
CEP 20011-030