Sindilojas RioTelefone
   
 
Novidades
Busque no site
 
 
CapaSindilojas RioCentral do AssociadoServiçosConvêniosInformaçõesRevistaImprensaContato
Capa
 
Sindilojas Rio      
Diretoria
Quem Somos
Princípios
Bandeiras
Mensagem do Presidente
Categorias Representadas
Associe-se
 
 
 
Hora de agir

 
 
De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad), divulgada pelo IBGE em 29 de março, a taxa de desemprego no País, referente ao trimestre de dezembro de 2018 a fevereiro de 2019, aumentou para 12,4%, atingindo mais de 13 milhões de brasileiros e representando a entrada de mais 892 mil pessoas na população desocupada. A
mesma pesquisa aponta que é recorde a população fora da força de trabalho, de 65,7 milhões de pessoas, o maior da série do IBGE, além de trazer outros dados igualmente negativos. 

Na véspera da divulgação desta pesquisa, o Banco Central revisou a sua expectativa de crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro para 2019. Em dezembro de 2018, o BC projetava alta de 2,4% e, agora, espera que a economia cresça 2% neste ano. 

Se a conjuntura geral já é muito preocupante, no Rio de Janeiro ganha contornos ainda mais dramáticos, devido ao recrudescimento da violência. Assombrados por uma profunda crise financeira, política e ética, há mais de três anos, tanto a capital como os outros 91 municípios fluminenses sofrem com a violência, com o desemprego e com a má qualidade dos
serviços públicos essenciais, como Educação, Saúde, Transporte, Saneamento Básico e Segurança. Além de afetar negativamente a qualidade de vida da população, tudo isso afasta investimentos, consumidores e turistas, e prejudica a arrecadação de impostos. Considerando que, segundo o IBGE, o Rio de Janeirotem o terceiro maior contingente populacional dentre os estados, a situação é extremamente grave.

Diante desse quadro, chegamos ao mês de abril com muitas expectativas, mas sem avanços significativos. Sabemos que uma crise de tal magnitude como a que ainda vive o Rio de Janeiro não será revertida da noite para o dia. No entanto, passou da hora de os poderes instituídos buscarem a convergência de ideias e propósitos para enfrentarem, efetivamente, os gigantescos desafios que se impõem para a reconstrução do nosso estado. 

O momento exige união, comprometimento e muito trabalho de todos os agentes envolvidos. Exige diálogo, pautado pela transparência e pela ética, com a sociedade, por meio de suas organizações representativas, para a urgente definição conjunta de ações e medidas que, implementadas, contribuam para o combate à violência e para a melhora das condições necessárias à recuperação da nossa economia.

Nesse sentido, o SindilojasRio e o CDLRio têm participado ativamente de diferentes fóruns de discussão e da articulação política nas esferas municipal, estadual e também federal, atuando junto aos poderes executivo, legislativo e judiciário.

Representando mais de 22 mil empresas lojistas, de mais de 30 diferentes segmentos e que geram centenas de milhares de empregos, nossas entidades estão empenhadas em apoiar e propor soluções que permitam a revitalização econômica do Rio de Janeiro e seu desejado e consequente desenvolvimento social.

Apesar de todos os seus graves problemas, o Rio de Janeiro ainda é a grande vitrine do Brasil. Se o Rio de Janeiro vai mal, o Brasil vai mal. Está na hora de virar esse jogo. É hora de agir!


 
 
 ALDO CARLOS DE MOURA GONÇALVES
Presidente do SindilojasRio e do CDLRio
 
 
 
Contribuições
Obrigações do Mês
Associe-se
Convênios
 
Revista
 
 
 
         
 
   
Sindilojas Rio
Telefone

Rua da Quitanda, 3 - 10º, 11º e 12º andares
Centro Rio de Janeiro RJ
CEP 20011-030